Category

Geral

Descubra 5 motivos pelos quais você ainda não atingiu o sucesso!

By | Coaching, Colaboração, Desenvolvimento Humano, Geral | No Comments

Você já se pegou algumas vezes querendo entender porque para algumas pessoas chegar ao topo é tão simples e para você é como se tivesse entrado num labirinto e ainda para piorar de olhos vendados? O que diferencia alguns indivíduos? Quais as fórmulas mágicas ou pílulas do sucesso buscaram? E o melhor, qual o preço que tiveram que pagar?

E se nós contássemos a você os MAIORES SEGREDOS das pessoas de sucesso? Isso te auxiliaria na sua evolução? Se por algum motivo você está em busca dessas respostas, eu aconselho a seguir na leitura, ela conterá os 5 principais motivos pelos quais as pessoas de maior sucesso no mundo atingiram o topo. Mas, se caso você não tem interesse em evoluir e chegar ao topo, te incentivo a deixar essa leitura e viajar por horas nas redes sociais e a buscar como as pessoas de sucesso estão felizes e bem posicionadas nesse momento. Como tudo na vida, aqui também é um processo de escolha.

Medo da responsabilidade

Esse é um dos maiores vilões do sucesso! As pessoas que possuem o medo da responsabilidade tendem a não buscar coisas para si, pois geralmente sofrem de preguiça mental e com isso gerar responsabilidades é extremante cansativo. O medo da responsabilidade possui o “poder” de te manter ancorado no fracasso por muito tempo, como um bom vilão que é faz seu papel de forma inigualável na mente das pessoas.

Ausência de proatividade

Ah…. Esse aqui é especial! A ausência da proatividade é típica naqueles indivíduos que gostam de se comparar a uma água de poço, ficam ali paradas, inertes e se alguém vir buscar um balde ele enche, se ninguém buscar tudo bem também. Esse é o padrão das pessoas que são apenas passageiros da própria vida e não o piloto, não tem nenhuma tomada de decisão, quem dirá alguma ação feita ou desenvolvida por ele.

Culpa desgovernada

A culpa pode ser entendida de duas formas: aquele que vive culpando a si de todos os problemas e aquele que sempre culpa o outro por tudo e se deixa de fora do processo de auto responsabilidade. Temos aqui, não somente uma maneira de auto sabotagem, mas sim duas! A culpa desgovernada faz com que você tenha sempre um alvo a frente pronto para soltar o disparo. Muito utilizado através do julgamento, funciona com um verdadeiro tiro no pé e tem grande parcela de culpa pelo fator de você ainda não ter chego ao topo!

Falta de objetividade

Por acaso você já viu a cena de um cão que corre atrás de seu próprio rabo? Assim como na analogia citada, se você não possui objetividade na vida é provável que você esteja andando em círculos já há algum tempo e nem tenha observado. Pessoas sem objetividade, sem foco definido, carregam a falsa sensação de fazer muita coisa e mesmo assim não saem do lugar.

Ausência de empatia

Essa eu traria no topo da lista! A empatia é a capacidade de um indivíduo se colocar no lugar do outro, ou seja ver de acordo com a percepção da ou das pessoas envolvidas em determinada situação. As pessoas que possuem a tendência auto derrotistas de enxergarem apenas o seu próprio lado não conseguem analisar a situação como um todo e dessa maneira automaticamente não são e nem se permitem abertas ao novo.

 

Trago aqui um item que não estava na lista dos 5, porém que vem para fechar com chave de ouro: o que é sucesso para você? Uma pessoa de sucesso, além de ter que possuir responsabilidade, proatividade, processo de filtragem, objetividade e empatia, precisa saber exatamente o que defini o sucesso em sua própria vida. Não saber as crenças que existem por trás dessa informação possui gatilho destrutivo dessa escada de vitórias. A partir de hoje note se você possui um ou mais dos itens apontados acima e o mais importante, defina o sucesso em sua mente. Após isso você entendera que a formula magica nada mais é que um processo que se inicia no autoconhecimento.

 

Por que colaborar é melhor que competir, até entre concorrentes

By | Coaching, Colaboração, Desenvolvimento Humano, Economia, Geral, Vendas | No Comments

Nos negócios, a colaboração pode surgir de diferentes maneiras, como, por exemplo, no compartilhamento de recursos. Um exemplo interessante é o do Jornal Estadão e da Folha, que entregam seus jornais com os mesmos caminhões já há alguns anos. Concorrentes ferozes nos anos 1990, inclusive para ver quem chegava primeiro às bancas, a crise dessas empresas fez com que elas percebessem que era muito mais vantajoso juntar forças nessa questão operacional e continuar concorrendo naquilo que é realmente o seu negócio: a produção de conteúdo.

Aliás, a concorrência cada vez mais acirrada é hoje uma grande impulsionadora para a colaboração. Mas nem sempre foi assim. O ditado “farinha pouca, meu pirão primeiro” explica o pensamento ainda dominante no mundo empresarial, que preconiza que, se o mercado está pequeno, se os recursos são escassos, o melhor a fazer é pisar na cabeça do concorrente e, se possível, tirá-lo do negócio.

Nada mais equivocado!

O segredo é Colabore no essencial, concorra no diferencial.

Empresas que já aprenderam a surfar nesse novo mundo colaboram até mesmo no desenvolvimento de seus produtos. Isso é possível porque produtos semelhantes costumam ter características básicas iguais entre si. O que os diferencia é o refinamento que surge acima disso. Se ele é similar entre concorrentes, por que então não juntarem suas forças nessa etapa?

Os benefícios imediatos são uma considerável redução nos custos e aumento na agilidade no desenvolvimento. Claro que será necessária a criação de mecanismos para evitar que segredos industriais e comerciais vazem. Mas isso já faz parte do negócio, e a criação de processos bem definidos pode eliminar esse risco.

Mas há quem vá ainda além e construa negócios abertos e compartilhados.

Algumas companhias vão além disso e adotam o conceito de “open business”. Derivado do “movimento open”, essas companhias possuem uma gestão colaborativa, onde funcionários e até mesmo consumidores participam da tomada de decisões em uma escala inimaginável para empresas tradicionais. Até mesmo as finanças são apresentadas de maneiras transparente.

Parte desses conceitos podem ser encontrados em empresas da chamada economia compartilhada, que tem no Uber e no AirBnB algumas de suas maiores estrelas. Essas companhias e seus modelos de negócios estão redefinindo alguns pilares do capitalismo.

Talvez a mudança mais dramática que isso promova seja a construção de uma consciência de que não é mais necessário ter algo para usufruir de seus benefícios. O exemplo clássico disso é a furadeira. Quem tem uma em casa sabe que ela é usada muito, muito raramente. Então por que precisamos comprar uma?

O Uber partiu desse princípio para criar um negócio com milhares de pessoas que têm um recurso ocioso (no caso, um carro) e decidem ganhar algum dinheiro com isso. Por outro lado, um número ainda maior de consumidores pode usufruir de um serviço de transporte diferenciado sem precisar comprar um automóvel.

A Colabore, empresa de educação empresarial que visa levar os conceitos e valores da colaboração onde atua, tem algumas experiências com este compartilhamento entre seus clientes. Além de frequentemente um indicar nosso trabalho para o outro, eles organizam suas agendas para que possamos otimizar o nosso tempo de deslocamento e isso gera uma economia de logística imediata para as empresas que nos contratam.

Portanto, diante de tudo isso, se os negócios estão difíceis, eu sugiro fortemente que você considere a possibilidade de trabalhar com outras empresas, mesmo que sejam concorrentes. Essa divisão do fardo pode deixar todos mais ágeis. E aí todo mundo ganha: as próprias empresas, seus colaboradores e a sociedade, que fica mais moderna, humana e muito mais colaborativa.

DESCUBRA 5 MOTIVOS PELOS QUAIS A SUA EMPRESA NÃO DEVE CONTRATAR A COLABORE!

By | Coaching, Colaboração, Desenvolvimento Humano, Geral | No Comments

Sim, é isso mesmo que você leu! 5 motivos pelos quais a sua empresa não deve contratar a Colabore.

 

Motivo 1-  Zona de Conforto:

A sua empresa poderia continuar crescendo e tendo desenvolvimento progressivo a cada dia, porém vocês preferem continuar com mesmos velhos hábitos. Preferem continuar com a rotatividade como principal fator de gastos financeiros e relacionais.  Perceberam também que os colaboradores estão “bem” do jeito que estão, rendem o mesmo desde que entraram e possuem todos os vícios destrutivos que levam uma péssima rotina de trabalho. Não há necessidade de ser criativo, de aprender coisas novas, isso daria muito “trabalho” e como diz o ditado: “mexer em time que tá “ganhando” não é inteligente. Fazer cursos novos, especializar na área que atua é um investimento muito caro e na maioria das vezes não vale apena. Afinal a sua empresa SEMPRE foi assim e não há necessidade de mudanças.

 

Motivo 2- Comunicação

Sim, era possível obter uma comunicação extremamente atrativa e assertiva, no entanto isso requer tempo e cuidados. Por isso a sua decisão é de que a comunicação continue assim sem qualidade por mais algum tempo. Para que pedir ajuda? Manter um problema na comunicação é muito melhor. Ao invés de explicar abertamente as expectativas existe uma opção por manter em sigilo. Enquanto a Colabore teria toda a capacidade e habilidade para reunir e desenvolver sua equipe, vocês preferem tratar de todos os assuntos para “evitarem” possíveis confrontos. Uma empresa de treinamento traria uma comunicação clara e objetiva, mas a sua equipe prefere dar todas as voltas do mundo a ir direto ao ponto. Continuando assim com as suposições ao invés de esclarecimentos. Realmente, a Colabore nesse caso iria contribuir com toda a resolução de uma comunicação destrutiva e não é isso que sua empresa quer. Ela pode continuar com os corredores de fofoca, problemas relacionais entre outros por mais longos anos. Comunicar bem nem é tão importante assim.

 

Motivo 3- Corte de Gastos

Será que não notaram que estamos vivendo em meio a uma crise?? Impossível não terem notado! Todo mundo só fala na crise. E a sua empresa também só consegue enxergar a crise e o primeiro passo é fazer o corte de gastos. Então sua empresa decidiu que vai começar a cortar todo investimento destinado ao desenvolvimento da equipe e o próximo passo é com o desligamento de alguns funcionários. E pronto! Ufa, diminuição de gastos desnecessários. Lógico que você nem vai perceber que o caos começará a ser instalado, pois você optará por não investir no desenvolvimento da sua equipe e para “contribuir” ao fazer alguns desligamentos você sobrecarregará seus colaboradores no intuito de enxugar as despesas. E quando sua equipe começar a ter todos s níveis de stress, desentendimentos, conflitos gerados por não ter um equilíbrio, começar a falhar nas produções, irão existir atrasos, reclamações de clientes e falta de qualidade em atendimento e serviço, sua empresa vai se perguntar: mas o que fizemos de errado? Estamos “saindo” da crise, cortamos tudo que era supérfluo e desnecessário. Exatamente! Quando optar por essas escolhas você vai entender…

 

Motivo 4- Não precisar desenvolver sua equipe

Não contratamos crianças! Os colaboradores já são bem grandinhos e precisam saber o que fazer. Não há a necessidade de estimular a sua equipe a se engajar, a sonhar em busca de melhorias em suas vidas. Não há necessidade em manter uma equipe de qualidade, em ótimo funcionamento. Muito menos uma equipe comprometida. Não desenvolver a sua equipe fará com que você não extraia grandes potenciais e estimule profissionais que há muito estão desmotivados. Não desenvolver sua equipe seria o mesmo que ter um grande elenco de estrelas sem um excelente roteiro, vão ser apenas pessoas falando e andando de um lado para o outro. É.… realmente não há motivo algum para desenvolver uma equipe e faze-la produzir mais.

 

Motivo 5- Desenvolver liderança é perda de tempo

Podemos continuar na era da liderança autocrática, onde um chefe manda e o restante “obedece” por medo. Podemos ter esses tipos de líderes em todas as empresas e continuar desestimulando a criatividade, as grandiosas ideias que nunca sairão do pensamento. Podemos continuar com pessoas sem qualidade gerindo as equipes de qualquer forma e sob pressão. Afinal, desenvolver um líder leva tempo e custa caro. O que sua empresa não percebe é que o investimento para desenvolver um líder é muito mais em conta se colocado na ponta do lápis do que todo aquele pessoal que saiu da sua empresa pois não aguentou a gestão daquele líder ou também por aquela outra parte que guardou todas as ideias revolucionarias pois sempre que pensava em expor aquele líder dizia que era uma tremenda bobagem. Sem pensar que um líder bem desenvolvido ele é capaz de fazer uma equipe render mais que o normal, consegue inspirar e ganhar a confiança e respeito dos liderados sem grande esforço e isso gera uma economia gigantesca. Pensando friamente também concordo que você não deveria desenvolver seus líderes, até hoje funcionou assim e você nem tem tanto preparo para ter mais clientes. Tá ótimo do jeito que está!

 

Agora, se você é uma pessoa visionária e consegue compreender a qualidade que um desenvolvimento de equipe pode fazer pela sua empresa, eu tenho a certeza absoluta que ao término dessa leitura você já está ansioso por descobrir. Afinal quem é essa empresa Colabore que vem aos poucos transformando a realidade das empresas. E posso aqui facilitar para você, A Colabore é especialista em desenvolvimento de equipes e temos um módulo de diagnóstico fantástico para sua empresa. Que saber mais? acesse: www.espacocolabore.com.br

 

E compreenda todos os motivos do porquê sua empresa PRECISA da Colabore.

Evento: Palestra Competir X Colaborar

By | Colaboração, Desenvolvimento Humano, Geral | No Comments

Competir X Colaborar Esse foi o tema do nosso bate papo com os participantes da Hora do Conhecimento no mês de junho.

O projeto desenvolvido pela ACICG (Associação Comercial e Industrial de Campo Grande) através da Escola de Varejo visa capacitar empresários e colaboradores para desenvolver e aprimorar habilidades, construindo assim

vantagens competitivas nas empresas.

O mercado empresarial não tem mais dúvidas de que o atual cenário exige que se tenha, em qualquer área, uma nova forma de pensar, novas pessoas, novos perfis e novas competências. E, dentro dessas novas formas de pensar, encontra-se a colaboração .

Diante deste cenário, a Colabore trouxe nessa palestra reflexões a cerca dessa nova postura para o futuro do trabalho, destacou as novas iniciativas organizacionais colaborativas para que se tenha uma equipe engajada e comprometida com o resultado que é de todos.

Case: Cachoeira Hotel

By | Coaching, Colaboração, Desenvolvimento Humano, Geral | No Comments

Como assim um hotel procurar integrar a sua equipe? Simples assim! O Hotel Cachoeira em Nova Alvorada do Sul, descobriu a Colabore, investigou o trabalho da empresa e não pensou duas vezes! Contratou o programa de desenvolvimento de equipes!

Pelo jeito o programa tem feito sucesso por onde passa! E voltamos dizer, o que importa para a Colabore é exatamente o capital humano! Nós diagnosticamos as fraquezas e fortalezas das equipes! Nós desenvolvemos lideranças e trabalhamos de forma continua no crescimento das empresas por onde “pisamos”

Na grande maioria das vezes as perguntas mais frequentes são:

“Funciona mesmo?”

“Mas, porque é mensal?”

“Qual tipo de metodologia?”

“Qual a formação de vocês?”

“Em quanto tempo minha empresa já apresentará resultados?”

 

Respondendo sempre as perguntas de maneira clara e pontual, procuramos sanar toda e qualquer dúvida por parte dos contratantes. Sim, funciona e muito, comprovação disso é a quantidade de empresas pela qual já estamos em desenvolvimento. Feedbacks dos empresários e até mesmo dos colaboradores de que, depois que a Colabore passou a fazer parte da qualidade de vida deles, muita coisa funcionou.

Em seguida explicamos o fato do trabalho ser mensal, trata-se de um trabalho de continuação ou seja, estamos em constante desenvolvimento e isso faz com que o desempenho seja ainda maior. Em muitas empresas esses desenvolvimento passa a ser de 15 em 15 dias, quando há necessidades.

A metodologia em questão é a CAHAM, desenvolvida por suas Criadoras, Michelle Fresz e Nayara Protásio. Uma maneira inovadora e colaborativa afim de resultados cooperativos e pontuais. A formação da equipe além de ter no site (www.espacocolabore.com.br) é:

Michele: Comunicação Social, bacharel em comunicações publicas e especializada em Educação empresarial e metodologias colaborativas;

Nayara: Gestão em Recursos Humanos e especializada em Gestão Estratégica de Pessoas e Coaching.

O tempo de resultados é algo que dependerá da colaboração dos participantes e da atuação da equipe Colabore, o que na maioria das vezes desde o primeiro encontro já representa resultados significativos. É claro que quanto mais estamos “dentro” da empresa e observamos os pontos a se trabalhar facilita no desenvolvimento.

 

Assim como o Hotel Cachoeira, muitas empresas estão dando saltos significativos e apostando na preparação das suas equipes. A intenção é atender os clientes antigos e se prepararem para as altas temporadas da região. Aqueles que passarem pelas empresas que a Colabore atua, verão de longe a diferença de um trabalho colaborativo.

Case: Lava Jato Texas Car

By | Coaching, Colaboração, Desenvolvimento Humano, Geral | No Comments

Investir. Palavra que na maioria das vezes assusta! Assusta na verdade quando a empresa não possui clareza no que está de fato investindo. Assim dessa forma as empresas que investigam e procuram maneiras de melhorar suas equipes contratam de forma inteligente empresas capazes de recuperar e desenvolver suas gestões, lideranças e colaboradores.

Este mês o Lava Jato Texas Car, contratou a colabore com o intuito de desenvolver e potencializar a sua equipe. A empresa é nova no mercado e vem com muita inovação. Antes mesmo de estarem a todo vapor na mão de obra, começamos com a integração e preparação da equipe.

A Colabore iniciou trabalhando o programa de desenvolvimento que já vem atendendo uma variedade de empresas do Estado. Iniciamos trazendo conceitos de trabalho em grupo, ética, e fórmulas de autoconhecimento. O programa já é conhecido e a metodologia inicial de  3 etapas:

1 – Eu – etapa onde estabelecemos o autoconhecimento do colaborador

2- O Outro- abordagem de compreensão e interação com outros indivíduos

3 – Eu com outro- nesta etapa, o individuo se conhece, compreende como o outro age e assim possui maior facilidade em trabalhar e se identificar meio ao grupo

 

Tudo isso é possível pois a metodologia em questão é baseada na CAHAM e trata-se de modelos vivenciais. A Texas Car, iniciou um novo ciclo, com facilidade na comunicação com seus clientes e futuros clientes. O que atualmente vem em defasagem em Campo Grande e região, a falta de qualidade no bom atendimento e trabalho em grupo.

Dessa maneira a Colabore vem ganhando grande espaço no mercado, atendendo as necessidades de cada empresa de acordo com os diagnósticos elaborados no decorrer de três encontros. Com equipe altamente qualificada e olhar atento aos “alarmes” quase imperceptíveis que podemos notar no decorrer dos encontros.

Muitas pessoas perguntam:

Qual tipo de empresa que a Colabore atende?

Nós atendemos todos os tipos de empresa, pois o nosso foco é os indivíduos em questão, nossa especialidade está ligada em desenvolver pessoas, capacitando gestões e lideranças afim de contribuir com um mercado de trabalho cada vez melhor e mais colaborativo.

Inovar é preciso. Investir é essencial. Invista na sua empresa e no seu capital humano! A Colabore tem toda a estrutura para reagrupar, desenvolver e impactar positivamente nos resultados da sua empresa.

 

Case: Livromat, mais de 40 anos de mercado e o investimento para melhoria constante não para

By | Coaching, Colaboração, Desenvolvimento Humano, Geral | No Comments

Colaboradores da Livraria e Papelaria Livromat, empresa que está há mais de 40 anos no mercado, finalizaram o primeiro módulo do Programa de Desenvolvimento de Equipes da Colabore.

Por três encontros, os participantes tiveram a oportunidade de desenvolver habilidades e características necessárias para evolução pessoal e profissional, gerando clareza, estimulando a atitude e ampliação de visão.

As ferramentas utilizadas foram escolhidas de acordo com perfil dos colaboradores e sempre aplicadas de forma dinâmica e vivencial, o que gerou uma participação de todos de maneira colaborativa.

Os colaboradores puderam compreender como lidar uns com os outros, compreender seus clientes e suas diferenças significativas.

Com a finalização deste primeiro módulo, foi possível realizar um diagnóstico preciso das reais necessidades dessa empresa em particular.

A apresentação deste diagnóstico foi apresentada ao gestor da empresa e junto com a equipe da Colabore, construímos um plano de ação para os próximos 6 meses incluindo treinamentos quinzenais e sessões individuais de coaching para gestores.

A iniciativa da empresa vem ratificar o seu comprometimento com a melhoria constante da sua equipe para um melhor atendimento a seus clientes.

Empatia no ambiente organizacional

By | Coaching, Colaboração, Desenvolvimento Humano, Geral | No Comments

Segundo o dicionário Aurélio, a palavra empatia significa: “A capacidade psicológica para se identificar com o eu do outro, conseguindo sentir o mesmo que este nas situações e circunstâncias por esse outro vivenciadas”. “Ato de se colocar no lugar do outro”.

Os processos organizacionais modernos, ainda que embasados em tecnologia, são todos decorrentes e dependentes de relacionamento humano. Nesse contexto a noção de ‘empatia’ tem notável importância.

As relações dentro de uma empresa não precisam ser baseadas apenas na competitividade. Quando há empatia entre os membros de uma equipe, ela pode alcançar metas maiores do que quando é levado em conta apenas o resultado pessoal. Incentivar esta habilidade dos colaboradores harmoniza o ambiente de trabalho e promove a construção de laços mais ricos na empresa.

As empresas que mais se destacaram na gestão de pessoas nos últimos anos são aquelas que sabem muito bem aonde querem chegar e tem a certeza de que dependem de seus colaboradores para alcançar seus objetivos.

Essas empresas conseguiram reduzir o grau de incerteza, que é um grande gerador de tensão para qualquer ser humano, agiram com empatia, e, ao estabelecer uma comunicação direta e aberta, definiram planos de ação baseados na identificação dos pontos que mais impactam na satisfação profissional de seus colaboradores.

A boa notícia é que, assim como aprendemos a desenvolver a comunicação, espírito de liderança, trabalho em equipe, a empatia pode ser desenvolvida com treinamento, persistência e força de vontade.

Dentro do Programa de Desenvolvimento de Equipes, a Colabore trabalha a Empatia com processos vivenciais na segunda etapa do Módulo 1 do treinamento. Várias empresas já passaram pelo processo e experimentaram aprendizados que geraram mudanças de comportamento como:

  • A capacidade de se colocar no lugar do outro;
  • A percepção daquilo que as pessoas estão sentindo e passando;
  • A habilidade de ouvir com carinho e atenção aquilo que estão nos comunicando através de palavras, gestos ou atos;
  • Apreciar e respeitar as diferenças: pessoas, raças, culturas, filosofias, religiões, formas de pensar etc.

A prática da empatia é de grande importância para a convivência saudável e harmoniosa entre as pessoas. É o ato de calçar os sapatos do outro e sentir onde ele aperta realmente. É a verdadeira inteligência emocional em uso, o que é importante para as pessoas terem sucesso nos relacionamentos pessoais e profissionais.

 

.

 

 

 

 

 

 

 

 

Pessoas Tóxicas. Como identificá-las?

By | Coaching, Desenvolvimento Humano, Geral | No Comments

Eles estão por toda a parte! Mesmo que você não queira, eles veem você de longe.

E se você não os tem por perto, tenha cuidado para que ele não seja você!

De que estamos falando?

De pessoas tóxicas!

Nas empresas, existem aos montes ou pode até ser a minoria, porém com um peso tão grande pode afetar toda a equipe.

Como identifica-los? Simples:

  • São pessoas que nunca estão contentes com nada
  • Não ficam felizes nunca com suas vitórias
  • Estão sempre reclamando de alguma dor
  • A dor dele (a) é sempre maior que a sua
  • Possuem negatividade para tudo que você fala
  • Reclamam da vida em casa
  • Reclamam da empresa o tempo todo
  • Só conseguem ver defeitos
  • São sempre negativos
  • Adoram fofocas
  • Sabem sobre a vida de todos a sua volta
  • Opinam sem serem convidados
  • Sugam sua energia mental sem nem que você perceba
  • São sempre as vítimas de todas as histórias
  • Só propagam más notícias

Essas pessoas, na maioria das vezes nem percebem que são assim, pois de alguma maneira já estão acostumadas com essa maneira de viver e sobreviver.

Se você se sente assim perto de alguém você tem duas opções:

a) Sair quando ela chegar e nem permitir que ela comece!

b) Mostrar a ela uma nova maneira de enxergar as coisas!

Se a sua escolha for a opção A, nós da Colabore respeitamos sua decisão. Mesmo que isso indique que você apenas está se “defendendo” desse sanguessuga. Porém se a sua escolha for a opção B, isso demonstra empatia pelo seu colega, ou seja, você se colocou no lugar dele, sentiu o que ele sente e passou a saber, como é se sentir indesejado por onde passa. Então a sua decisão faz com que você tenha uma visão ampla sobre todos os pontos e vai contribuir para que ele tenha a oportunidade de ver o mundo de outra maneira.

Se você já consegue detectar essas pessoas, já pode contribuir para um ambiente saudável. Pois nada melhor que conviver com pessoas positivas e que enxergam possibilidades ao invés de desistências. Se no seu meio existem pessoas tóxicas, use o “remédio milagroso” da Colabore: Empatia! E seja você o elo de melhorias da sua empresa. Não espere por contratações novas, por gerenciais novas. Comece aos poucos implantar novas maneiras de pensar e mude a “cara” de onde você passa mais tempo da sua vida: No seu trabalho!

A Colabore apoia mudanças internas para construções de novas visões com foco de melhorias comportamentais. Agora pessoas tóxicas nunca mais serão os seus problemas!

 

Case: Restaurante e Hotel Congonhas reconhece que as pessoas são o seu bem mais precioso

By | Coaching, Colaboração, Desenvolvimento Humano, Geral | No Comments

No dia 25 de março, a Colabore realizou seu primeiro atendimento com o Programa de Desenvolvimento de Equipes no Restaurante e Hotel Congonhas.

Cada vez mais as empresas que possuem clareza de que seu bem maior está nas pessoas, conseguem ganhar tempo e cada vez mais qualificação através de técnicas e abordagens específicas para alinhamento e desenvolvimento de equipes e posteriormente de lideranças.

A Metodologia CAHAM atua diretamente com o aumento de foco, trabalho em equipe, identificação e desenvolvimento de comportamentos, gestão de tempo, desenvolvimento e acompanhamento de lideranças.

Um olhar diferenciado para a sua equipe, faz com que tudo trabalha de forma harmônica e em sincronia em prol de resultados maiores e melhores e o Restaurante e Hotel Congonhas apostou nessa ideia e sabe da importância de dar sequencia no desenvolvimento de cada colaborador.

O primeiro módulo do Programa é dividido em 3 etapas: Primeira Etapa o EU, segunda etapa o OUTRO e a terceira etapa EU COM O OUTRO. Na primeira etapa  os participantes tiveram a oportunidade de desenvolver o autoconhecimento. No dia a dia da Empresa eles lidam com pessoas diferentes o tempo todo e precisam fazer com
que essas relações funcionem a sua volta. Para isso precisam controlar o próprio comportamento para lidar de forma estável com os outros. 

Finalizado as três primeiras etapas, passa-se a trabalhar de acordo com as necessidades específicas da empresa o que faz com que cada trabalho seja personalizado, resultando em ajustes pontuais de acordo com as necessidades diagnosticadas.

O restaurante Congonhas passou pela primeira etapa com 100% de aprovação e aproveitamento o que faz com que os resultados sejam ainda melhores.

As ferramentas utilizadas são escolhidas de acordo com o perfil dos colaboradores e sempre de forma dinâmica e vivencial, gerando a participação de todos de maneira colaborativa. Dessa maneira faz com que os colaboradores compreendam como lidar uns com os outros e a compreender melhor cada clientes e suas diferenças significativas.

Trazer clareza, autoconhecimento, mudanças de comportamento e motivação é algo simples e que precisa de um olhar pontual para cada indivíduo.

 

Nosso Cliente

 

Desde 1989,no mercado, o Restaurante e Hotel Congonhas oferece um atendimento diferenciado, comida de qualidade e iguarias da região .

Anote o nosso endereço:
R A Lotes 02 E 03 Quadra 13, S/N, Sala 2, Distrito De Congonhas- Bandeirantes (67) 3261-9001